Veco Noticias

Plataforma registra mais de 1,8 mil alertas de desmatamento no Paraná em 2021


Conforme monitor MapBiomas, de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, houve 2.815 alertas de desmatamento no estado, tendo ocorrido 66,2% deles no ano passado. IAT informou que esse período contou com 600 fiscalizações no Paraná. Desmatamento é monitorados nos estados por meio de satélite, segundo o MapBiomas
Cedoc/RPC
Mais de 1,8 mil alertas de desmatamento foram registrados no Paraná em 2021, conforme dados da plataforma ambientalista MapBiomas. As informações foram coletadas por imagens de satélite.
De acordo com o levantamento, de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, ocorreram 2.815 alertas de desmatamento no estado. Desse total, mais de 66% ocorreu apenas no ano passado.
Desmatamento na Amazônia em 2021 é o maior dos últimos dez anos, diz Imazon
70 cidades do Paraná estão entre as que mais desmatam áreas da Mata Atlântica no Brasil, aponta pesquisa
Conforme a metodologia da plataforma, cada vez que uma floresta é cortada, um satélite flagra a ausência da mata e isso é transformado em indicadores vermelhos no mapa do site, que indicam o avanço do desmatamento.
Nos últimos três anos, conforme o MapBiomas, foram registrados 200 mil alertas no Brasil. Em cada um desses pontos é preciso saber se o corte foi ou não autorizado.
Para isso, a plataforma MapBiomas conta com o “Monitor da fiscalização”, que cruza os dados do satélite com os dos governos estaduais e federais.
Conforme as informações dos estados, em mais de 97% dos alertas não há registros de fiscalização ou autorização. Somente em 2,17% dos alertas os agentes federais atuaram.
“É um número baixo e que também é um reflexo do desmonte que a política ambiental vem sofrendo e o enfraquecimento desse órgão que é tão importante para combater o desmatamento ilegal e garantir a manutenção das nossas florestas”, disse a gestora ambiental do monitor fiscalização, Ana Valdiones.
Pontos vermelhos indicam alertas de desmatamento no Brasil
MapBiomas/Reprodução
O monitor da fiscalização cruza dados com os estados de São Paulo, Goias, Mato Grosso, Pará e Minas Gerais.
O Paraná está de fora desse monitor da fiscalização, pois, segundo a plataforma, não há uma transparência ativa dos dados do estado.
Apesar da plataforma não cruzar os dados do Paraná, o Instituto Água e Terra (IAT) disse que nos últimos três anos concluiu 600 fiscalizações, o que representa 21% da quantidade de alertas registrados. Desse total, 479 fiscalizações contou a lavratura de auto de infração.
Para tentar zerar esses alertas, o IAT disse ainda que dividiu o trabalho de fiscalização com outros órgãos, como Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Ambiental.
A plataforma espera que outros estados deem transparência aos dados, para que o cidadão se informe como está conservação a natureza.
“É importante que o estado queira melhorar a divulgação de informações sobre ações de fiscalização. Isso é bom para o estado porque ele mostra as ações que ele está fiscalizando e é bom para a sociedade que fica informada sobre isso e consegue fazer um controle social melhor sobre a política ambiental que o estado está implementando”, disse a gestora.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR
Veja mais notícias do estado no g1 Paraná.

Rolar para cima