Veco Noticias

Marmita congelada pode ser uma aliada na busca por uma alimentação saudável; veja dicas de preparo


Fazer a própria comida e depois congelá-la em porções para almoço e jantar ajuda na rotina diária e também na qualidade de vida. Nutricionista dá dicas de como os alimentos devem ser congelados. Refeições são preparadas pela recepcionista Amanda aos domingos
Amanda Pagani/Arquivo pessoal
Decidida a ter uma vida mais saudável, com mais qualidade, a recepcionista Amanda Pagani decidiu trocar comidas de restaurantes ou compradas em mercados por refeições preparadas por ela mesma. A decisão virou hábito e, agora, todo domingo ela tem um compromisso: preparar e congelar as refeições que vai consumir ao longo da semana.
“Na época que comecei a fazer a minha própria comida estava com uma pessoa que era nutricionista e montou o cardápio que precisava. Comecei a fazer e isso me ajudou muito. Desde 2017, almoço e janto a comida que preparo no domingo”, contou.
Aos domingos, a moradora de Curitiba tira duas horas do dia para montar o cardápio, cozinhar e levar os alimentos para o freezer. Com uma dieta regrada, ela consegue variar as refeições e ainda se manter em forma.
“No começo achava muito difícil, um saco. Mas, com o tempo fui me acostumando.Com a experiência descobri que nem tudo é bom para congelar. Batata, por exemplo, absorve muita água, é preciso usar uma técnica diferente. O macarrão precisa ser congelado ao dente e o arroz mais durinho”, detalhou a recepcionista.
Amanda Pagani tem o hábito de preparar a própria comida e depois congelar as refeições em porções desde 2017
Amanda Pagani/Arquivo pessoal
Dicas profissionais
Técnicas e cuidados que todo mundo que faz ou pretende congelar a própria comida do almoço e da janta precisa ter para não comer um alimento com gosto de geladeira.
A nutricionista Suyan Lobo Alexandre explica que a higienização do local e dos utensílios, além da escolha do pote para o congelamento, são essenciais. A escolha pelo pote de vidro ajuda no descongelamento.
“Escolha potes pequenos que cabem o tamanho da porção ideal para uma refeição. Uma vez que a comida foi descongelada, não é possível congelar de novo. Quando você descongela um alimento, as bactérias voltam a viver naquele ambiente e se multiplicam. Se congelar novamente, na segunda vez que for descongelar, o alimento estará estragado”, explicou.
Para evitar o desperdício de comida, é importante preparar um cardápio para a semana, uma refeição por dia, identificando o que tem em cada pote que será congelado e a data do preparo.
Suyan detalha que, por exemplo, uma mulher que tem 40 anos fica saciada com uma colher de arroz, mais meia de feijão e o pedaço da carne equivale ao tamanho da palma da mão.
Para ter um prato colorido e com variedade, ainda é importante ter salada. As folhas podem ser lavadas no mesmo dia do preparo dos alimentos e guardadas bem sequinhas em potes na geladeira.
A comida congelada pode ser mantida no freezer por até um mês e, para não perder a cremosidade ou gosto do dia que foi feita, a nutricionista Suyan Alexandre dá as seguintes dicas:
Evite congelar ovo, maionese, alimentos a base de ovos, creme de leite e folhosos;
Para o legume não perder a qualidade, cozinhe, dê um choque térmico, resfrie e depois congele ;
Para a carne pronta não ficar dura após ser descongelada, não cozinhe as porções totalmente. Ao descongelar no micro-ondas ou no fogão a carne vai cozinhar o que falta e ficará suculenta;
Use pouco sal na comida que será congelada. O tempero fica mais evidente em comidas congeladas, por isso a dica é temperar com delicadeza;
Use pote de vidro, ele impede que a comida fique com gosto de geladeira;
Congele o estrogonofe de carne sem o creme de leite. Acrescente o item somente no momento do descongelamento;
Para o arroz ficar com gostinho de novo, no descongelamento utilize um pouquinho de água e manteiga.
“Dá trabalho, mas os benefícios a longo prazo valerão apena. Várias coisas do dia a dia vão melhorar com esse hábito, fora é possível economizar, porque comer fora custa caro”. afirma a nutricionista
Congelar em porções evita o desperdício de comida
Amanda Pagani/Arquivo pessoal
Hábito que virou negócio
Benefícios encontrados pela Amanda e também pela advogada Leticia Monteiro, de Londrina, no norte do Paraná.
Leticia começou a fazer marmitinhas fitness para consumo próprio ao começar uma dieta. Ao postar fotos das refeições na internet ganhou elogios e descobriu uma nova forma de ganhar dinheiro.
“Chamei a minha prima para ajudar a preparar as minhas marmitinhas. Postei no Instagram e as pessoas passaram a me perguntar porque não vendia. Há dois meses começamos a fazer marmitinhas para vender e estamos tendo um retorno legal. Tem semana que vendemos 40 marmitas congeladas”, contou a advogada.
Assim como qualquer pessoa que congela as refeições, as empreendedoras se reúnem duas vezes por semana, montam o cardápio e preparam os alimentos.
Uma rotina pautada por melhorias na saúde
No aplicativo Você na RPC, é possível encontrar um vídeo e uma planilha exclusivos disponibilizados pelo economista para quem é cadastrado na plataforma. Faça o download para Android ou para iOS.
Vídeos do G1 Paraná
Veja mais notícias do estado G1 Paraná

Rolar para cima