Veco Noticias

Mancini defende Jô, Otero, estratégia e minimiza sofrimento do Corinthians

Veja outros trechos da coletiva de Vagner Mancini:

Espaços no meio
“Eu não acho que o meio campo do Corinthians foi frouxo, e sim que a gente teve dificuldade na partida, essa é a verdade. Nós enfrentamos uma equipe que jogou bem, que valorizou, muito bem montada, dirigida. Tivemos uma perda de pressão, ordem tática, mais no início do jogo. Na segunda etapa, foi melhor, marcou adiante. E as substituições, eu reconheço que nossa equipe, a partir dos 25 minutos, perdeu rendimento, a partir do momento que foram feitas as trocas. Os atletas acabaram não entrando como aqueles que estavam jogando, isso acabou pesando”.

Otero até o final
“Eu vi o Otero hoje extremamente competitivo. E a opção de se montar um meio campo mais marcador é porque sabíamos que o jogo seria complicado, em virtude de tudo aquilo que mostrou o Mirassol nas últimas partidas, e pelo momento, pelas viagens e também pelo bom futebol que foi visto por esses atletas diante do Salgueiro. Achei que teríamos a manutenção da equipe que jogou bem e venceu fora de casa, o que aconteceu hoje, novamente”.

Opção por Jô
“O Jô eu sou prova de que ele tem tentando muito melhorar, e ele tem melhorado, tem feitos melhores jogos, hoje fez um bom jogo, segurou, ganhou no alto, mas ainda distante do que todos sabemos que pode ser. Fundamental que a gente entenda o que está acontecendo e dê para ele a possibilidade de uma melhora gradual para que a gente tenha, sim, aquele atleta que nós sabemos que ele pode ser, decidindo partidas, fazendo gols. Hoje, ele foi fundamental nas bolas aéreas, segurando zagueiros. Hoje, ele teve uma excelente participação e após sua saída a gente sentiu um pouquinho porque a gente vinha dominando aquele setor”.

Recuperação do Cazares
“Vocês mesmo viram hoje um jogo com intensidade grande, as duas equipe acabaram sofrendo defensivamente, houve dos dois lados ataques e contra-ataques. O que mostra que a opção em se montar uma equipe diferente é em função disso, que o atleta esteja preparado para aquele jogo. O Cazares, ao meu ver, ainda não está na forma física ideal dele. Após sua última lesão, ele voltou e tem sentido um pouco de dificuldade. Por isso a opção”.

Preparação em cima da hora
“Nós sabemos a dificuldade que foi sair de São Paulo, chegar aqui, mas também foi do lado do Mirassol, então, não pode ser usada como desculpa. Todos nós estamos sensibilizados de um lado, mas temos de entrar em campo, mostrar nosso valor. Diante de tudo isso, a vitória veio como um prêmio diante da dificuldade encontrada para a partida e por toda a estratégia para o jogo”.

Avaliação sobre Otero
“A gente tem o hábito de conversar muito com todos os atletas, e com o Otero não é diferente. Ele foi meu atleta no Atlético-MG, eu falo muito com ele, ele vem se dedicando, não tem acontecido os gols, até o desloquei, porque ele é competitivo, tem contribuído muito, mas está distante do que sabemos e do que ele é capaz de fazer”.

Jemerson x Bruno Méndez
“Eu entendo que o Jemerson não fez um bom jogo, assim como outros atletas também. Hoje, na parte tática, a gente teve dificuldade, e essa mesma parte tática nos deu regularidade. Não foi todo o jogo. O Jemerson faz parte de uma defesa que não toma gols há bastante tempo, que vem se solidificando, eles vão oscilar, natural. A gente espera que dentro disso a gente não tome gol e o atleta possa se recuperar. Esse tipo de situação é dado ao atleta. É óbvio que qualquer um deles, se baixar, tem atletas que podem entrar na equipe”.

Espaços no meio-campo
“Eu acho que quando você vence uma partida difícil, isso mostra que sua estratégia foi certa. Diante do que foi visto, óbvio que alguém pode me questionar sobre entradas de A, B ou C, até por ausências de outros, mas isso faz parte do futebol, do dia-a-dia, somos nós que estamos acompanhando os atletas. Eu imaginava um jogo intenso, sabia que exigiria bastante da gente. Se eu entro com um meio campo com jogadores de fragilidade na marcação, certamente a gente teria sofrido mais do que a gente sofreu. Acho que o Corinthians foi competitivo, melhorou na segunda etapa, teve oportunidades, assim como o Mirassol também teve. Nós fizemos um gol, vencemos e isso mostra que as escolhas por esses atletas acabou sendo correta”.

Poucas oportunidades a meninos da base
“As oportunidades estão sendo dadas. Não posso de uma maneira repentina fazer a entrada de vários garotos, porque eles vão sentir dificuldade. Hoje eu vi o Cauê com muita dificuldade no jogo. Estamos tentando amadurecer os jogadores. É importante que eles entrem, façam parte. Vou citar o exemplo do Rodrigo, que oscilou nesses últimos jogos. Hoje, fez um bom jogo, no inicio ainda distante do que pode, mas ao longo da partida se recuperou. Alguns atletas ainda vão entrar e vão ter oportunidades.

Rolar para cima