Veco Noticias

Leitos de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19 são desabilitados, em Cascavel

Leitos desativados foram abertos de forma emergencial, segundo diretor do Hospital de Retaguarda. Cascavel tem agora 107 leitos de UTI ativos, com taxa de ocupação de 97%. Leitos de UTI exclusivos para tratamento da covid são desabilitados em Cascavel
O Hospital de Retaguarda de Cascavel, no oeste do Paraná, desabilitou cinco leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que eram exclusivos para Covid-19, nesta terça-feira (13). Apesar disso, segundo o hospital, se for necessário, estes leitos podem ser reabertos.
Com essa redução, Cascavel deixa de ter 112 leitos de UTI e passa agora a contar com 107. A taxa de ocupação dos leitos de UTI na cidade é de 97%.
CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias
ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado
VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas
Conforme o diretor do hospital, Lísias de Araujo Tomé, os leitos foram desativados por uma questão administrativa e técnica. São cinco leitos que foram abertos de forma improvisada para atender a demanda de março, quando o sistema de saúde de Cascavel precisava de mais suporte.
O diretor do hospital destacou que vários fatores foram levados em consideração para a desativação, o principal deles é a tendência de queda nos internamentos. De acordo com Lísias, é importante desativar os leitos, neste momento, por uma questão de melhorar o atendimento no hospital.
Situação melhorando, diz médico
Cascavel tem, nesta terça-feira, 31.532 casos confirmados e 600 mortes pela Covid-19, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). O médico Rodrigo Nicácio, do Consórcio de Saúde dos municípios do Oeste (Consamu) disse que, nas UPAs, o trabalho tem sido mais tranquilo.
“É fortemente percebível pelos serviços móveis de urgência, a importante redução de casos atendidos em domicílio e transferência de UPAs para hospitais da cidade e região que tem acontecido nos últimos dias”.
Segundo Rodrigo, os números do Samu comprovam uma redução de casos novos e de casos graves. A cidade, conforme o médico, completou uma semana sem nenhum paciente intubado nas UPAs.
“Todos os casos graves, que chegaram às unidades e precisaram ser transferidos, conseguiram vagas, graças ao trabalho da central de leitos, em um período bem adequado de até 24 horas”.
Nesta semana, o transporte público de idosos em Cascavel foi liberado para o grupo acima de 65 anos, mas continua com restrições para outras faixas etárias. A medida foi tomada como forma de tentar controlar a pandemia na cidade.
VÍDEOS: Mais assistidos do G1 Paraná
Veja mais notícias do estado no G1 Oeste e Sudoeste.

Rolar para cima