Veco Noticias

Covid-19: Caso suspeito da variante indiana é investigado em morador de Jesuítas, diz prefeitura


Informação sobre caso suspeito foi divulgado pela Sesa na quarta-feira (2), e Prefeitura de Jesuítas divulgou esclarecimentos sobre a investigação nesta quinta-feira (3). Variante indiana da Covid-19 é identificada no norte do Paraná
A Prefeitura de Jesuítas, no oeste do Paraná, divulgou detalhes, nesta quinta-feira (3), sobre o caso suspeito da variante indiana da Covid-19 que está sendo investigado em um morador da cidade.
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou, na quarta-feira (2), o primeiro diagnóstico positivo da variante no Paraná e divulgou sobre o caso suspeito no município.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o paciente monitorado pela Sesa tem 38 anos e é morador de Jesuítas, mas também tem uma casa temporária no Maranhão. Por isso, o diagnóstico dele é considerado suspeito, pois o estado já confirmou casos da doença.
Teste da Covid-19 do caso suspeito com a variante indiana está sendo analisado pela Fiocruz
AEN/Divulgação
Conforme a prefeitura, o paciente chegou do Maranhão em maio com o resultado positivo para a Covid-19 e, em seguida, procurou atendimento médico na rede privada de Cascavel, no oeste do Paraná.
Por apresentar sintomas leves, o paciente foi orientado a ficar em isolamento social fora do município de Jesuítas. Após cumprir a quarentena, o homem voltou às atividades no Maranhão, segundo a prefeitura.
O município esclareceu ainda que o paciente passa bem e aguarda resultado do sequenciamento genômico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
Conforme a Sesa, até esta quinta-feira, Jesuítas registrou 722 casos confirmados e 19 mortes pela Covid-19.
Variante indiana
VÍDEO: Conheça 4 variantes do novo coronavírus
De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.
Apesar de ter sido notada no ano passado, foi somente em 10 de maio que a OMS classificou a variante B.1.617 como “preocupação global”.
Acredita-se que variante se dissemine mais rápido. No entanto, cientistas ainda não sabem dizer se é mais letal e se tem maior transmissibilidade.
VÍDEOS: Mais assistidos do G1 PR
Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

Rolar para cima