Veco Noticias

Covid-19: Ao receber novo lote, com 406,1 mil vacinas, Paraná vai começar imunização de pessoas com comorbidades e gestantes, diz Sesa


Informação do novo lote de vacinas, o 16º enviado pelo Ministério da Saúde, foi repassada à secretaria na sexta-feira (30). Apesar disso, ainda não há previsão de chegada da maior parte ao estado. Sesa espera receber novo lote para começar a vacinar novos grupos prioritários.
Gilson Abreu/AEN
O Paraná espera receber, nos próximos dias, mais 406.100 doses de vacinas contra a Covid-19. Com isso, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) pretende começar a imunizar pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente.
Os grupos são preferenciais dentro dos planos nacional e estadual de vacinação, conforme a Sesa. Veja mais abaixo a lista de comorbidades.
A informação do novo lote de vacinas, o 16º enviado pelo Ministério da Saúde, foi repassada à secretaria na sexta-feira (30), mas ainda não há previsão de chegada da maior parte ao estado.
CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias
ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado
VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas
De acordo com a Sesa, serão 391.500 doses da AstraZeneca e 14.600 da Coronavac – estas chegaram na tarde deste sábado (1º) do estado. Ao todo, são 235.991 vacinas para primeiras doses dos novos grupos prioritários, todas da AstraZeneca.
O Paraná possui 1.328.677 pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas. São 400.682 pessoas com deficiências permanentes graves.
Veja aqui o plano estadual de vacinação contra a Covid-19
Segundo o plano estadual de vacinação, pessoas com Síndrome de Down, com doença renal crônica e gestantes e puérperas serão vacinadas independentemente da idade.
Já a vacinação das pessoas com comorbidades ou deficiência permanente severa, nesse primeiro momento, alcançará apenas aqueles que têm entre 55 e 59 anos.
Curitiba tem cerca de 300 mil pessoas com comorbidades; veja como será a vacinação contra a Covid-19
Dia da chegada de novo lote ainda não foi confirmado.
Geraldo Bubniak/AEN
Ainda do novo lote da AstraZeneca, serão separados 116.269 imunizantes para continuar a vacinação de primeira dose de pessoas com 60 a 64 anos.
Das mais de 14 mil vacinas Coronavac, as doses irão para proteger os profissionais da segurança pública e salvamento. Também devem ser separadas vacinas para reforço (segunda dose) da mesma categoria e dos trabalhadores de saúde.
Lista de comorbidades
Veja as comorbidades estipuladas no Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação do Ministério da Saúde:
Diabetes mellitus (qualquer indivíduo com diabetes);
Pneumopatia crônica grave (indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave com uso recorrente de corticoides sistêmicos ou internação prévia por crise asmática);
Hipertensão Arterial Resistente (pacientes cuja pressão arterial permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou com pressão arterial controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos);
Hipertensão Arterial estágio 3 (pressão arterial sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo ou comorbidade);
Hipertensão Arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade (pressão arterial sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade);
Insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association;
Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária;
Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo);
Síndromes coronarianas crônicas (angina pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós-infarto agudo do miocárdio);
Valvopatias (lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico);
Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática;
Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas (aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos);
Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; entre outras);
Cardiopatias congênitas no adulto com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico;
Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular);
Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticóide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas);
Anemia falciforme;
Obesidade mórbida (IMC ≥ 40);
– Síndrome de down (trissomia do cromossomo);
Também fazem parte do grupo:
Gestantes, em qualquer idade gestacional entre 18 e 59 anos
Pessoas com deficiência permanente entre 18 e 59 anos e que sejam cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC)
Vacinação no Paraná
Até este sábado (1º) o Paraná vacinou 1.774.225 pessoas com a primeira dose da proteção contra a Covid-19. No estado, 990.541 pessoas receberam a segunda dose, segundo a Sesa.
Ao todo, 16,7% da população paranaense recebeu ao menos uma dose.
Mais de 700 pessoas são denunciadas por furar a fila da vacinação contra a Covid-19, no Paraná
VÍDEOS: Mais assistidos do G1 Paraná
Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Rolar para cima