Veco Noticias

TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado) do Paraná publicou em seu site um ranking dos portais da transparência

O TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado) do Paraná publicou em seu site um ranking dos portais da transparência dos 399 municípios paranaenses. A listagem tem como base o ITP (Índice de Transparência da Administração Pública) de cada prefeitura. O indicador, desenvolvido pelo TCE-PR em 2018, foi aferido pela primeira vez no fim do ano passado.

Quanto mais perto de 100%, mais transparente. A primeira colocada foi a Prefeitura de Candói (Centro-Sul), que atingiu a nota de 94,48%. Na sequência, aparecem os poderes executivos municipais de Cascavel (93,07%), Maringá (85,37%), Londrina (84,89%) e Andirá (81,58%). A capital, Curitiba, ficou na 198ª posição, com pontuação de 65,23%. A última colocada foi a administração de Luiziana (6,01%). Todos os gestores foram notificados previamente a respeito da realização da avaliação.

Além de Cascavel, outras cinco cidades da região oeste figuram entre as 20 mais transparentes do Estado: Jesuítas (7º no ranking), Ouro Verde do Oeste (9º), Guaraniaçu (15º), São José das Palmeiras (17º) e Missal (18º).
Dentre as 50 prefeituras da região, Guaíra teve a pior nota: 47,18%.

Vera Cruz do Oeste está no ranking em 132º Vera Cruz do Oeste com a nota 68,96%

Metodologia
Para aferir o desempenho de cada portal, foi firmado um termo de cooperação técnico-científica entre o TCE-PR e a Universidade Positivo. Foram realizados 12 encontros em outubro e novembro de 2019, nos quais 35 alunos do 1º ao 5º ano do curso de Direito da instituição analisaram a qualidade dos portais da transparência municipais.

Ao longo de todo o processo, os estudantes foram orientados por servidores do TCE-PR que validaram, por amostragem, os resultados obtidos pelos universitários.
A avaliação dos portais levou em consideração cinco dimensões: transparência administrativa, transparência financeira, transparência passiva, boas práticas e usabilidade.

O ITP será utilizado para o ranking nacional da entidade e, a partir deste ano, deve também fundamentar a avaliação dos portais da transparência das câmaras municipais e dos demais poderes na esfera estadual.

Futuramente, o indicador servirá ainda como um dos critérios de apreciação das contas anuais dos gestores públicos paranaenses, além de ser usado como fator de risco para o planejamento das atividades de fiscalização do órgão de controle. “Além de estarem descumprindo dispositivos legais expressos que regem a transparência da administração pública, municípios com baixo índice de transparência podem apresentar maior chance de ilícitos”, alerta o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres.

Confira aqui a nota dos municípios

 

 

 

Separamos Para Você

Rolar para cima