Veco Noticias

Flamengo perde para Emelec e se complica para avançar na Libertadores

O Flamengo visitou nesta quarta-feira (24) o Emelec e começou com derrota nas oitavas de final da Libertadores. Com gols de Godoy e Caicedo, os equatorianos venceram por 2 a 0 o duelo disputado no Estádio George Capwell, em Guyaquil.

Com uma atuação ruim coletiva e individualmente, o time rubro-negro foi uma equipe que pouco perigo ofereceu aos equatorianos. Organizado desde o início, o Emelec neutralizou os brasileiros.

Na próxima quarta-feira (31), os times voltam a se enfrentar às 21h30, no Maracanã. Os cariocas precisam vencer por três gols de diferença para seguir. Os rubro-negros voltam a campo no domingo, quando encaram o Botafogo, 16h, também no Maraca.

QUEM FOI BEM: GABIGOL BATALHA SOZINHO

Gabigol foi uma das poucas boas notícias do Flamengo na noite em Guyaqyuil. Sem ser municiado, o atacante tratou de buscar a bola e tentou encontrar seus próprios espaços. Foram dele as únicas poucas e reais chances de gol do Flamengo.

QUEM FOI MAL: SISTEMA DEFENSIVO PERDIDO

Os homens que compõem a “cozinha” do Flamengo estiveram em uma jornada ruim, e o gol do Emelec traduz isso. A bola viajou da direita para a esquerda até Cabezas cruzar para a área. Entre vários rubro-negros, Godoy recebeu absolutamente sem marcação e bateu para vencer Diego Alves. O gol que fechou o marcador também foi fruto de um contra-ataque que pegou a zaga desarrumada.

IMPROVISO: RAFINHA É DESLOCADO E SOFRE

Deslocado para compor a segunda linha rubro-negra, Rafinha não se encontrou de forma alguma. Ainda que atuando pela direita, o camisa 13 “trombou” com Rodinei e foi peça nula na construção ofensiva e na parte defensiva. No segundo tempo, voltou para sua posição de origem e foi mais efetivo.

FLAMENGO FICA ENCAIXOTADO E NÃO AGRIDE

O Flamengo teve muita dificuldades para sair com a bola desde trás. Com os homens de meio também em apuros, os atacantes não foram municiados. O resultado disso foi um time incapaz de se impor ao adversário e que não construiu coletivamente.

Ver imagem no Twitter

EMELEC APROVEITA ERROS DO FLA PARA VENCER

Inferior tecnicamente, o Emelec deixou o Flamengo ter a bola. O time marcou em cima e deixou que o rival tropeçasse em seus próprios erros de marcação para vencer. Destaque para Guerrero, que atormentou pelos dois lados.

DIEGO DEIXA O CAMPO E PREOCUPA

O meia Diego sofreu falta e deixou o campo aos 25 do segundo tempo. O jogador foi carregado na maca e, chorando, desceu direto para o vestiário. Se nova baixa se confirmar, Jesus terá mais um na lista dos jogadores indisponíveis, que já conta com Éverton Ribeiro, Arrascaeta e Vitinho.

CRONOLOGIA

Godoy abriu o placar aos 10 minutos da etapa inicial. Aos 8 do segundo tempo, Vega chutou o rosto de Rafinha e foi expulso. Aos 25, Diego saiu lesionado e o Fla não tinha mais substituições. Aos 33, Caicedo fez o 2 a 0.

VISUAL DIFERENTE

O Flamengo entrou em campo com sua camisa tradicional rubro-negra, calção branco e meiões da mesma cor, combinação de uniforme rara no clube. Como o Emelec jogou de azul da cabeça aos pés, foi definido que o Flamengo não usasse meia vermelha e preta.

PARABÉNS, MISTER

Aniversariante do dia, o técnico Jorge Jesus foi festejado na concentração rubro-negra. Após o almoço, o português foi presenteado com um bolo e cantou o “Parabéns para você” ao lado de jogadores e dirigentes.

EMELEC

Emelec Dreer, Caicedo, Jordan Jaime, Leandro Vega e Bagüi; Arroyo, Godoy e Queiroz (Mejía); Cabezas (Orejuela), Guerrero (Carabalí) e Angulo. T.: Ismael Rescalvo

FLAMENGO

Diego Alves, Rodinei (Lincoln), Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Willian Arão (Cuéllar), Diego e Gérson (Lucas Silva); Rafinha, Bruno Henrique e Gabriel. T.: Jorge Jesus.

Local: Estádio George Capwell, em Guayaquil (EQU)
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Assistentes: Diego Bonfa (ARG) e Maximiliano Yesso (ARG)
VAR: Leodan González (URU)
Cartões amarelos: Guerrero (E); Willian Arão, Gérson, Léo Duarte, Bruno Henrique (F)
Cartões vermelhos: Vega (EME)
Gols: Godoy, aos 10 minutos do primeiro tempo; Caicedo, aos 33 minutos do segundo tempo

Folhapress

Separamos Para Você

Rolar para cima