Veco Noticias

Adolescentes atacam escola com machado no Paraná

O ataque aconteceu na noite desta quarta-feira (3) durante uma aula de filosofia no Colégio Estadual Professora Maria das Graças Cavalcante di Mario,  em Imbaú, município da região dos Campos Gerais no Paraná.  Três adolescentes, de 13, 16 e 17 anos, invadiram a sala usando uma máscara e um machado para quebrar tudo que encontraram pela frente. A ação foi planejada e antes da invasão, os garotos desligaram o disjuntor do bloco, deixando os 28 alunos e a professora às escuras, aumentado ainda mais o pânico no momento.

Houve muita correria, mas ninguém ficou ferido. Os adolescentes destruíram uma porta de vidro que dava acesso ao corredor,  danificaram várias carteiras e deixaram marcas no quadro negro.  Assustadas, as vítimas do ataque correram para fora e a Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência.  Os menores fugiram pulando o muro dos fundos na escola, mas foram apreendidos pelos policiais e levados à 18ª Subdivisão da Policial Civil,  de Telêmaco Borba. Eles tiveram o acompanhamento do Conselho Tutelar e prestaram depoimento na delegacia.

De acordo com o delegado Amantino Ribeiro, responsável pelo caso, os adolescentes também estudavam no colégio, um deles inclusive na sala que foi atacada. O delegado contou que o comportamento dos garotos chamou a atenção pela falta de noção da gravidade do ato cometido. Segundo ele, todos são filhos de famílias bem estruturadas e os pais não tinham conhecimento do ataque planejado por eles.  A “brincadeira” teria sido planejada no início da semana e a máscara usada por um deles, foi emprestada por um dos colegas de classe do menino de 13 anos, que nem imaginava a finalidade do uso.

 

“Na delegacia os adolescentes demonstraram total desconhecimento das penalidades à que estão sujeitos. Eles depredaram o patrimônio público, causaram danos materiais e colocaram em risco a vida de 28 pessoas na sala de aula”, informou Ribeiro. Após passar a noite na delegacia, em um cômodo reservado, os três estudantes foram encaminhados juntamente com os pais, para a  Vara da Infância e da Juventude.

“Primeiro eles negaram a participação no ataque, mas depois confessaram que tinham organizado tudo. Um deles, que inclusive estudava na sala de aula atacada, disse que estaria sofrendo bullyng dos colegas e por isso planejou a ação”.  A polícia ainda investiga a origem do machado usado pelos adolescentes.  “Estamos aguardando os laudos da perícia, para comprovar os estragos causados na escola. Os alunos e a professora que estavam no local ainda devem ser ouvidos”, informou ele sobre os próximos passos da investigação.

Até o momento do fechamento desta matéria, o destino dos adolescentes estava sendo decidido pelo juiz responsável pela Vara da Infância e da Juventude, de Telêmaco Borba.

Paraná Portal

Separamos Para Você

Rolar para cima